Make your own free website on Tripod.com

 

Sítio em formação e...colaboração.

       Ponte sobre o Angueira - S. Joanico                  S. JOANICO - HISTÓRIA  

3 - A SUA HISTÓRIA

               3.1 - O SEU BERÇO -Segundo o Abade Baçal, S.Joanico teve o seu princípio numa quinta que daquele lado da Ribeira “houve” a que se lhe deu o nome de S. Joane, a propagação de vizinhos a aumentou de “hua e outra parte, que chegou a ter Igreja matriz e a poucos anos sacrário". (Ab Baç p.537)( De que lado da ribeira?...Do lado esquerdo?)

            Desde os sécs. XII, XIII, que temos  referências a S. Joanico: umas escritas, poucas; uma outra, de pedra e cal, talvez a mais importante, bem visível e palpável, é a sua ponte-primeiro medieval, depois românica, actualmente...—sem imagem e sem projecção, descaracterizada, apesar das recentes obras... . É uma ponte, de cantaria, medieval, de estilo românico, integrada no antigo caminho que de Angueira se dirigia para Vimioso, " de cantaria, para passagem da antiga estrada de Bragança a Miranda."É considerada pelo IPA monumento património nacional, inscrito Nº. IPA:0411120006.É propriedade pública municipal. Foi reconstruída em 1778 e sofreu uma intervenção em 1994 pela CMV.- obras de reparação da ponte, ficando muito descaracterizada.* " O seu pavimento encontra-se muito alterado, já não conservando qualquer laje, sendo constituída por paralelos ... Dos dois lados da ponte, marcando a sua entrada, encontram-se quatro coruchéus, assentes em pilastras, das quais três se encontram derrubados...( Como é possível?)... Na margem esquerda, foi posteriormente sobreposto um painel de azulejos com a imagem de S. João Baptista."

Atestam ainda os documentos que “havia nesta povoação uma casa para Hospital”( Que casa seria esta? Onde ficava? Que tipo de Hospital? Haverá vestígios?...)

          3. 2- O NOME SÃO JOANICO  provém, talvez, do facto de ter S. João Baptista como seu Patrono; não por ser um santo desconhecido ou de pouca importância; bem pelo contrário; se todos os santos são importantes e grandes, este, “de entre os nascidos de mulher, não apareceu ninguém maior que João Baptista”(Mt.11.11), mas, talvez, sim, por ter poucos habitantes, por ser um povo pequenino, talvez mesmo simpático, acolhedor; daí também o diminutivo com cariz afectivo... Talvez ainda "por carinho devocional, á semelhança do S. Bentinho, em Braga ou pela pequenez do templo" - que não deve ser o actual, um outro anterior a este... O sufixo “ico” e não em “inho”- S.Joaninho (distrito de Viseu), aparece na região, por influência remota do mirandês como se nota em outras palavras toponímicas da mesma, por exemplo: Lagonica(Lhagonica), Colmenica...  Todavia, antes teve o seu nome de San Joane. Observação que levou Leite da Vasconcelos a concluir que em São Joanico, bem como em Serapicos, Avelanoso e Campo de Víboras se tenha um dia falado o mirandês” Depois, por influência eclesiástica, regressando à forma anterior, formou-se: Joane+ico=Joanico, São Joanico”. Carvalho da Costa, na sua Corografia, já assim lhe chama, no princípio do séc. XVIII.(Ab.Baç.)

Teria havido outro S. Joanico? - Leite de Vasconcelos in Estudos de  Filologia Mirandesa I,38 B.N.:L 34618:19V. identificou, em dúvida, a “Villa Sancti Johanis”, mencionada nas  “Inquirições”, com a actual aldeia de S.Joanico, no conc. de Vimioso. A forma diminutiva deste toponómio torna porém pouco provável a identificação. Todavia, se existe hoje S. Joanico é porque existiu outrora um S. Joanico de que depende o toponímio moderno(18) e que provavelmente ficaria nas suas imediações.( Que imediações seriam estas?...).

      3.3 - Povoamento e colonização - Segundo os documentos escritos, metade da aldeia foi vendida, juntamente com metade das aldeias de Caçarelhos e de Genísio ( porquê só metade?), em 1217, por Paio Fernandes,  ao Mosteiro de S. Martinho da Castanheda ou da Castanheira, em terra da Sanábria(Espanha). O Mesmo mosteiro nos povoou e colonizou  no reinado de D. Sancho II juntamente com S. Martinho de Angueira, S.Joanico, Caçarelhos, Especiosa. (J.G.Carvalho) (Mem Arq. Históricas, TomoVI. pg.329). “Foi povoada pelo mosteiro de Moreirola e em 1530, pertencia ao termo da Vila de Vimioso e tinha 11 moradores” (Ab.Baç.).“Nas mediações directas da zona de Miranda, encontram-se outros lugares, também objecto da colonização leonesa: Avelanoso, Vale de Frades. Cerapicos, S.Joanico, Vimioso, Carção, Campo de Víboras."

  3.4 -CABANAS - Faz ainda parte da história de S. Joanico, quase ignorada e, para mim, talvez um dos seus factos mais importantes - a presença dos Judeus em Cabanas “,onde assentaram arraiais, durante três anos, aquando da sua expulsão de Espanha, até obterem autorização de El-Rei para se fixarem em Portugal”. É de salientar que este lugar de Cabanas fica em  S. Joanico e não em Caçarelhos, como me pareceu  referir o primeiro programa de “O Lugar da História” da RTP.( Quem conhece algo sobre esta presença? A arqueologia já alguma vez se lembrou de Cabanas, em São Joanico? ” (Onde é que propriamente estiveram? Em que circunstâncias? Será que não deixaram vestígios?)  UM APARTE - As "tabafeias" (alheiras) fazem o cartaz turístico e económico de Mirandela; mas, não teriam nos freixos de Cabanas as suas primeiras varas? O site de Vimioso diz que ultimamente o concelho se virou para o Turismo. Não será S. Joanico um lugar a descobrir? Nem um “chino” que indique onde estiveram, quem sabe, muitos dos nossos avós e pais...” Mesmo apesar da relutância de os Judeus se unirem a raças diferentes. Eventualmente, o termo tabafeia, termo árabe, poderia ter sido trazido para Portugal pelos judeus, quando, no final do século XV são expulsos de Espanha pelos Reis Católicos. Remonta a essa época a entrada em Portugal de certas comidas e respectiva designação.” (M.R.M.R.). A "tabafeia" – a  alheira – nasceu em Portugal, ( em Cabanas?...), como alternativa ao fumeiro de carne de porco que os judeus não faziam nem comiam porque tal  comportamento os  denunciava  como sendo judeus, perante a Inquisição. Então, inventaram este tipo de fumeiro de quase todas as carnes, menos de porco. Nós, depois, acrescentámos-lhe  também esta.

Por outro lado, a própria cabana dos pastores não terá aqui origem ou pelo menos inspiração?...

Cabanas é, a meu ver, o segundo monumento histórico a evidenciar; este, humano, social... ; o outro, a ponte, material, artístico mas, também, cheio de “alma”. Porque não materializar também aquele, in loco?

    3.5 - S. Joanico já foi Freguesia  -  Vale de Frades, a Freguesia  actualmente, é constituída pelos lugares de Serapicos e de S. Joanico mas já  foram “ambos muito importantes em tempos na história do concelho, pois  formaram freguesia independente. É de realçar o nome do último lugar, típica reminiscência do dialecto mirandês.”

    3.6 - Momentos históricos na História de S.Joanico. Sempre que nasce um habitante é um momento histórico; fica registado. Um casamento, um baptizado são momentos históricos; até mesmo quando o luto escurece uma casa.  A subida ao palco, duas  vezes, da Vida de Cristo nos espaço de vinte (?) anos foram dois grandes momentos históricos. Há, todavia, outros momentos que sendo da aldeia são mais de índole  pessoal, familiar: a conclusão de um Curso, uma Promoção, uma Graduação, a consecução de um emprego fora do normal...; destes, tem havido muitos em S. Joanico.

            Há ainda a salientar outros acontecimentos que, talvez, pela sua raridade e especificidade, pelas sua amplitude comunitária, local, regional e até universal, ficaram registados, não tanto nos livros mas sobretudo, na memória das pessoas porque foram acompanhados, preparados, vividos e celebrados pela comunidade. Refiro-me  às três Missas Novas que no espaço de 20 anos se celebraram em S. Joanico: as dos PP. Aníbal João, Casimiro João (irmãos) e Serafim Falcão.

                           

Saliento estes factos não só pela sua importância própria mas também pelo facto de S. Joanico ser mesmo S. Joanico, uma terra pequena...a que se pode aplicar:" E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá...(Miq.5.1;Jo 7,42;Mt. 2,6)

            A inauguração, a montante, de uma ponte nova foi outro momento histórico importante, permitindo assim, o desvio da aldeia, quando não se tem intenção de nela parar. Pena foi que não tivesse sido feita, antes das "obras" da que é chamada "a Ponte de S.Joanico."
   Momento da última hora: 22.VIII.2003 - Outro momento importante para a história de S. Joanico foi o lançamento de uma monografia, breve, simples mas ao mesmo tempo rica pelo seu conteúdo e oportuna porque veio preencher uma lacuna e ao mesmo tempo enaltecer, sem vaidades e menosprezo, o nosso ego de que poucas terras maiores e sempre presentes no mapa se podem orgulhar...Na porta aberta deste
sítio, há cerca de um ano, que lamento a não presença explícita de S.Joanico na internet. Daí, esta minha iniciativa que a seu tempo, pretendo  que se faça ao mar largo... Parabéns à Senhora Professora Dª. Maria da Luz Miranda, aos seus inspiradores, encorajadores e colaboradores por: "S. JOANICO, SUA HISTÓRIA E SUAS GENTES".

Se esta obra enaltece o nosso ego, também puxa pelo nosso brio e aumenta a nossa responsabilidade. A partir do dia 22 de Agosto, data do seu lançamento, S. Joanico, tal como Bragança e outra cidades, tem que elaborar o seu programa "POLIS", pelo menos quanto à sua Ribeira, quanto à sua Ponte, ao seu chafariz das eiras e à traça, manutenção e restauro de algumas habitações...

Entre quem é!... Situacao Geografica História Patrimonio Cultural  
Patrimonio Arquit.
 
Patrimonio Humano Tradições Turismo e Lazer Diversos

S.joanico (Regresso a pág. principal)